© 2018 por UP Consultoria Jr.

Criado por João Pedro F. Marques

Siga a gente:

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca Ícone LinkedIn
Buscar

Como fazer uma gestão de estoque?

Atualizado: 19 de Jul de 2018

Que cliente não fica feliz com a retirada rápida do seu pedido?

Estocar mercadorias sempre foi algo importante para que as empresas atendam às necessidades do mercado. Você se lembra ou já ouviu algo sobre a queima de café no Brasil em 1930? E de como o sistema Toyota conseguiu recuperar o Japão após a Segunda Guerra? Então, tudo isso tem relação com gestão de estoque.


Em 1930, com a queda na Bolsa de Valores de Nova York, a economia ficou muito ruim e a demanda por café caiu drasticamente. Como os produtores brasileiros não esperavam por isso continuaram produzindo e estocando grandes quantidades de café. O impacto desse excesso de estoque, foi a queima de toneladas de café para amenizar os prejuízos da crise. Se eles conhecessem o mercado e produzissem de acordo com sua necessidade esse prejuízo poderia ter sido evitado, você não acha?


Uma história mais feliz foi a do Japão, que conseguiu se recuperar dos efeitos da guerra introduzindo novos métodos de produção, já que não tinha muito espaço para grandes estoques e precisavam de um escoamento rápido de produtos.


Como percebemos, o controle de estoque é muito importante, um bom gerenciamento pode melhorar ainda mais a produtividade e promover vantagens competitivas em relação a concorrência. Neste artigo serão abordados os conhecimentos necessários sobre o que é e como fazer uma boa gestão de estoque e assim melhorar o desempenho da sua empresa.


A gestão de estoque tem a função de deixar as empresas no patamar exigido pelo o mercado, garantindo maior disponibilidade de produtos ao consumidor. Porém, manter altos níveis de estoque pode gerar custos desnecessários, o que evidencia a necessidade e complexidade de estabelecer um bom controle. Para isso é preciso entender alguns aspectos como: os tipos de gestão, a sua armazenagem, a demanda da empresa, o custo envolvido e quais ferramentas utilizar para ter uma boa gestão.


Uma gestão de estoque pode ser dividida em duas partes: Gestão de estoque físico e financeiro. O controle da parte física tem o objetivo de informar a quantidade disponível de cada produto ou matéria-prima, enquanto que a parte financeira, informa quanto essa quantidade representa em valores monetários. Portanto, é fundamental que ambos estejam interligados.


Uma gestão do estoque físico necessita de um local de armazenagem bem organizado para que durante a retirada de produtos, estes sejam encontrados rapidamente. Além disso, a movimentação do estoque, suas estradas e saídas, devem ser registradas de forma correta, seja por um inventário ou controle físico, em sincronia com o controle financeiro, tanto para fins contábeis como gerenciais.


As demandas da empresa são critérios que devem ser bem avaliados. Conhecer as suas necessidades evita estoques desnecessários e falta de produtos, por exemplo, produtos cujo a demanda varia com a época do ano. Grandes quantidades desse tipo de produto, em épocas de pouca demanda, acarretam em grandes prejuízos para a organização, devido aos gastos relacionados à armazenagem e o risco de obsolescência ou avaria.


Toda empresa quer maximizar o seu lucro, certo? O setor de estoques é um ativo que custa caro se não for bem utilizado, por isso, um controle financeiro de estoques eficaz permite maior conhecimento sobre esse custo, redução das despesas, maior precisão nas tomadas de decisão e até mesmo uma melhora nas vendas.


Algumas ferramentas da Engenharia de Produção são muito úteis para controlar o estoque e aumentar a produtividade da sua organização, vejamos agora alguns exemplos:


1 – Lean Manufacturing: A filosofia do Lean surgiu no Japão, após a Segunda Guerra Mundial, com o objetivo de recuperar o país, aumentando sua produção com o mínimo de desperdício. Conhecido por ser um modelo de produção enxuta, muito utilizado pela indústria automobilística da Toyota, o Lean busca reduzir os 8 desperdícios de uma empresa: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, estoque, defeitos, movimentação pessoal e atividades redundantes. Dessa forma, ele gera uma melhoria continua dos processos da empresa e aumenta sua produtividade.


2 – Kanban: O Kanban também surgiu nas indústrias Toyota junto com o Lean Manufacturing. Ele consiste na utilização de cartões com cores e tamanhos diferentes para definir e descrever as tarefas que precisam ser feitas, as que estão sendo feitas e as que já estão concluídas. Pode ser usado no setor de estoque para identificar produtos e demandas, aumentando a eficiência da produção e otimizando seus sistemas de movimentação e produção.


3 – Curva ABC: A análise da curva ABC permite identificar itens que demandam maior atenção e tratamento quanto a sua administração. É utilizada para administração de estoques, definição de políticas de venda, estabelecimento de prioridades para a programação da produção, além de uma série de atividades usuais na empresa. A partir disso, é possível determinar os níveis de importância e um controle adequado de acordo com o seu tipo de relevância.


4 – Controle Gerencial de Estoques: A Tecnologia da Informação (TI), é indispensável na cadeia de suprimentos, e proporciona vantagem competitiva para muitas empresas. Os softwares de gestão processam os dados de entrada e saída de acordo com os pedidos dos clientes, registra as alterações nos níveis de estoques e prepara os documentos de expedição. Assim, mantém o estoque físico e financeiro sincronizado fornecendo melhores condições de tomada de decisão.


5 – Indicadores: Assim como a curva ABC, há diversos indicadores que nos auxiliam a compreender a situação da organização, a ter decisões mais assertivas e a ter um controle de estoque mais eficiente. O número de produtos, cobertura de estoque, ponto de pedido, tempo de reposição e taxa de retorno são alguns indicadores que otimizam a gestão desse setor e promovem o sucesso da empresa.


Para saber qual dessas ferramentas irá promover melhores resultados, é preciso fazer uma análise estratégica da empresa e da realidade do mercado. Assim, teremos uma gestão de estoque eficiente, capaz de corresponder às necessidades da empresa e aumentar seus resultados.

Escrito por Vanderlucia Alvarenga, Gerente de Adm-Fin da UP Consultoria Jr. (Gestão 2018.1)