© 2018 por UP Consultoria Jr.

Criado por João Pedro F. Marques

Siga a gente:

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • Branca Ícone LinkedIn
Buscar

Planejamento financeiro dentro das organizações em 3 passos!


Planejamento financeiro, como o próprio nome já diz, nada mais é do que ação ou efeito de se planejar financeiramente. Mas o que de fato significa isso?


O planejamento financeiro, assim como o planejamento de uma viagem, ou de um evento, envolve a determinação de etapas ou procedimentos que visam garantir o cumprimento dos nossos objetivos, antevendo situações futuras, bem como os meios para alterá-los caso venham a ocorrer mudanças durante o processo ou surpresas inesperadas.


O planejamento financeiro dessa forma, possibilita as empresas visualizar a sua situação anterior, atual e futura, em termos de origem e aplicação de recursos. Além disto, ele proporciona uma análise da performance e consequentemente uma avaliação do seu desempenho, e, com isso, auxilia no controle financeiro e na tomada de decisão para que os objetivos propostos sejam alcançados mais rapidamente.


Para se ter uma gestão eficiente é necessário muita disciplina e dedicação e isso só acontece com um controle diário das receitas e despesas, mesmo que seja feito em um caderno de controle de caixa. O ideal para as empresas, é que esse controle aconteça em um software próprio, pois como fluxo de informações é muito grande, o registro é feito com maior controle e segurança. E para manter a efetividade desse planejamento é fundamental fazer o acompanhamento das metas e ações propostas a curto, médio e longo prazos para que não haja um descontrole, nem desânimo. E para isso, é imprescindível ao traçar esses objetivos, que eles sejam claros e o mais realistas possível.


As metas a curto prazo são aquelas no qual se pretende realizar em até um ano, geralmente tem um custo menor para a empresa, como por exemplo a aquisição de bens ou uma pequena reserva de emergência. Já as de médio prazo, devem ser concretizadas de um a cinco anos, como uma reforma maior e até mesmo a aquisição de ativos mais custosos para empresa. E as metas de longo prazo, devem ser realizadas em no mínimo, cinco anos, como grandes investimentos, compras de imóveis, e abertura de uma nova filial por exemplo.


É importante observar que eu esses objetivos devem ser condizentes com os propósitos e com a capacidade financeira da empresa, para que dessa forma, eles realmente sejam alcançados e não haja frustrações. Pode parecer difícil e custoso no início, mas acredite, no final as recompensas serão muito maiores do que qualquer esforço.


Para que tudo isso ocorra basta seguir apenas três passos:

1- Tenha um plano de contas bem estruturado e atualizado e isso pode ser feito através de planilha financeira em caderno, Excel, Softwares e aplicativos especializados que farão o registro financeiro e facilitarão a visualização da situação da empresa e da sua performance e auxiliarão no planejamento e controle para a tomada de decisões.


2- Conheça bem o perfil do negócio e o real cenário em que está inserido e isto pode ser feito através do autoconhecimento e com o auxílio de uma matriz SWOT.


3- Trace um plano de ação com todas as informações e uma boa dica para isso é o ciclo PDCA, ferramenta que irá auxiliar na definição dos seus objetivos e na execução das ações para alcançá-los, avalia-los e corrigi-los quando for necessário.


O alinhamento desses três passos é essencial para se ter um planejamento financeiro mais assertivo, e com força de vontade e dedicação serão a diferença entre o sucesso e o fracasso do seu negócio.


Quer saber um pouco mais sobre o plano de contas, matriz SWOT, ou ciclo PDCA e a sua importância dentro das organizações? Acesse ao nosso site e na aba blog encontre muitos artigos com esses temas e outros que poderão auxiliá-lo nas tarefas mais simples até as mais complexas dentro da sua empresa.

Publicado por Natálie Lamoglia de Souza, Gerente de Engenharia e Gestão da UP Consultoria Jr. (Gestão 2018.2)